Greve da UEPB completa dois meses e assembleia mantém paralisação

0
Campus Guarabira

A greve da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) completou dois meses nesta última quarta-feira (19), e segue sem data prevista para se encerrar, já que a assembleia realizada nesta quarta decidiu pela continuidade do movimento. De acordo com informações da Aduepb, mais de 300 pessoas participaram da assembleia, mas apenas 76 professores associados puderam votar, sendo que 64 foram favoráveis à continuidade da greve, 11 foram contrários e uma abstenção foi registrada.

A greve afeta mais de 24 mil alunos de todos os campi da instituição – Campina Grande, Lagoa Seca, Catolé do Rocha, Araruna, Guarabira, João Pessoa e Monteiro. Ao todo, cerca de 1,3 mil professores devem paralisar os trabalhos.

A principal reivindicação da categoria é de reajuste salarial de 8%. Segundo a AduePB, os docentes não tiveram nenhum reajuste este ano. Eles ainda reclamam da precarização do trabalho e sucateamento da universidade.

O reitor da UEPB, Rangel Júnior, informou, através de nota, que “respeita a decisão da categoria de professores que, em assembleia, decidiu manter a greve”. A nota explica que, no entanto, “em virtude das limitações orçamentárias a Universidade não tem condições de implantar o reajuste pleiteado, sem contar com suplementação do Governo do Estado, que é o único com poder de suplementar o orçamento da Instituição”. “A Reitoria da UEPB continuará no diálogo, na tentativa de encontrar uma solução para o impasse”, encerra.

com G1

Professores decidiram manter o movimento. Mais de 24 mil alunos permanecem sem aulas

Você também pode gostar

Comentários

Carregando...