Guarabirenses veem "superlua'' em Praça Pública por telescópio

(Foto: Levy Galdino)

Foram disponibilizados em algumas cidades da Paraíba na noite deste domingo (27), telescópios para que as pessoas pudessem acompanhar o fenômeno da lua sangrenta. Essas cidades foram: Guarabira, Taperoá, Picuí, Maturéa,  e João Pessoa.

A superlua acontece quando ela atinge a sua fase cheia, durante 24 horas e, ao percorrer sua órbita, chega ao ponto mais perto da terra. Essa proximidade fez com que a lua fosse vista com um diâmetro 14% a 30% maior. O vermelho se deve a um fenômeno luminoso. É pela refração dos raios solares que atravessam a atmosfera , com exceção dos vermelhos. Estes últimos sofrerão outro fenômeno: a atmosfera os desviará e iluminarão a superfície lunar.

De acordo com o professor Caio Vinicius “O fenômeno é raro, pois acontecem dois eventos ao mesmo tempo que juntos formam a ‘Lua de Sangue’. Um deles é o eclipse lunar, que é a sombra da terra sendo projetada na lua, e outro é  a superlua que se dá  com uma aproximação maior da lua sobre a terra. E nós só poderemos acompanhar novamente outro evento como esse em 2033”.

O fenômeno iniciou no horário previsto, às 22h07, quando a terra começou a ficar entre a lua e o sol, e assim cobrindo a lua com sua sombra. O evento reuniu várias pessoas em praça pública em Guarabira para acompanhar o fenômeno que podia ser visto a olho nu e por telescópio.

Um telescópio da APA foi instalado na Praça Lima e Moura

(Foto: Adrianny Santos / CartaPB) 
(Foto: Adrianny Santos / CartaPB) 

(Foto: Adrianny Santos / CartaPB) 

(Foto: Adrianny Santos / CartaPB) 

(Foto: Adrianny Santos / CartaPB) 
Você também pode gostar
Comentários
Carregando...