Federação Paraibana de Futebol define formato do Paraibano de 2016

0

Na tarde desta quarta-feira (18) foi realizado o Conselho Arbitral que definiu a fórmula de disputa do Campeonato Paraibano da próxima temporada. Em reunião na sede da Federação Paraibana de Futebol, em João Pessoa, representantes de todos os clubes discutiram o formato para disputa do torneio estadual.

A maioria dos dirigentes tinha preferência por um campeonato dividido em dois grupos de cinco times. Apenas Campinense e Treze manifestaram interesse na repetição da fórmula de disputa de 2015, quando o certame foi disputado por pontos corridos, com os quatro primeiros se classificando para um quadrangular final e os dois últimos sendo rebaixados.

Depois de muita discussão, ficou decidido que a proposta semelhante à apresentada por Aldeone Abrantes, presidente do Sousa, seria a utilizada. Nela, os participantes serão divididos em dois grupos (A e B) de cinco times. Os integrantes da chave A enfrentam os do grupo B. Os três primeiros de cada grupo avançam de fase para uma espécie de “terça de finais”, um tipo de mata-mata que nem é quarta e nem semifinal.

Nessa segunda fase, os primeiros colocados de cada grupo enfrentam os terceiros da outra chave e os segundos se cruzam. Os três que vencerem os confrontos passam para as semifinais, que será complementada com o eliminado que possuir o melhor índice técnico. Os vencedores das semifinais, consequentemente, farão as finais.

Já para o rebaixamento, após a primeira fase, os quatro piores colocados disputarão um “quadrangular da morte”, disputado em turno e returno. Os dois últimos serão rebaixados para a segunda divisão estadual. O Paraibano de 2016 terá 16 datas e se iniciará no dia 30 de janeiro.

No Grupo A do torneio estarão Auto Esporte, Campinense, Paraíba, Santa Cruz e Sousa. Já o Grupo B terá Atlético de Cajazeiras, Botafogo-PB, CSP, Esporte de Patos e Treze.

Como Belo e Galo fazem parte do mesmo grupo, há possibilidade do Clássico Tradição não ser disputado na próxima temporada, a não ser que se encontrem em um eventual mata-mata.

William Simões e Petrônio Gadelha, respectivamente presidentes de Campinense e Treze, não assinaram a ata da reunião. Ambos queriam a manutenção da fórmula de disputa de 2015, ou pelo menos uma adequação: em vez de um quadrangular final na segunda fase, a sequência de semi e final após as 18 rodadas da fase inicial.

Votos vencidos, os dois dirigentes comentaram nos bastidores que podem até procurar a Justiça para contestar o regulamento e a fórmula aprovada.

Maioria dos dirigentes tinha preferência por um campeonato dividido em dois grupos de cinco times.

Você também pode gostar

Comentários

Carregando...