Romaria da Penha reúne milhares de fiéis em João Pessoa

Milhares de fiéis participaram da tradicional Romaria de Nossa Senhora da Penha, que começou no sábado (28) e terminou no início da manhã deste domingo (29), em João Pessoa. Segundo a estimativa da Arquidiocese da Paraíba, quase 500 mil pessoas percorreram os 14 quilômetros de caminhada. A Polícia Militar estimou o número em mais de 400 mil. Este ano, o evento católico completou 252 anos de realização.

A caminhada teve início por volta das 22h (horário local), na igreja de Nossa Senhora de Lourdes, no bairro de Jaguaribe. De lá, a imagem percorreu o trajeto da romaria pelas avenidas João Machado e Pedro II, no bairro da Torre, seguindo pela via expressa Padre Zé e pela avenida principal dos bairros dos Bancários. O percurso ainda seguiu pela avenida Hilton Souto Maior, em Mangabeira, e desceu pela pista de acesso à Praia da Penha, até chegar na praça Oswaldo Pessoa, onde fica o satuário da Penha. No local, já no início da manhã deste domingo, foi realizada uma missa campal celebrada pelo arcebispo da Paraíba, dom Aldo Pagotto.

A Romaria da Penha acontece anualmente no quinto final de semana antes do Natal, que para os católicos é a data em que se encerra o ano litúrgico. A devoção a Nossa Senhora da Penha começou em 1763, quando o português Sílvio Siqueira fez um apelo à mãe de Jesus. Ele, junto com a tripulação de sua embarcação, enfrentava uma grande tormenta no litoral paraibano, pediu para aportar com segurança. A graça foi alcançada e, em retribuição, ele ergueu uma capela onde desembarcou, a então Praia de Aratú, que depois viria a ser chamada de Praia da Penha.

Devoção
Antes da romaria, alguns fiéis contaram sobre como é preciso superar o cansaço do trajeto para fazer preces, testemunhar, realizar boas ações e agradecer. Participando da romaria há 18 anos, Maria de Fátima, de 60 anos, diz que o principal motivo para participar do evento é agradecer. Entre os motovos para a gratidão, estão ter conseguido criar os seus três filhos, após a morte do seu esposo há cerca de 20 anos, curas físicas e outros favores por intermédio de Nossa Senhora da Penha.

Romeira Maria de Fátima participa há cerca
de 18 anos (Foto: Anna Patrícia/Arquivo pessoal)

A romeira recorda que após a morte do seu esposo foi á sua santa devoção a quem primeiro recorreu e, segundo ela, logo foi atendida. “Eu pedi: por favor, minha Nossa Senhora da Penha, me socorre! Me ajuda a caminhar pela vida com meus filhos”, contou a devota, que começou a participar da romaria pouco tempo depois do falecimento do esposo.

Como forma de manifestar sua gratidão, além de enfrentar o desgaste da caminhada, a devota entrega a aos outros romeiros alguns objetos, como por exemplo, terços, medalhas religiosas e chaveiros. “Este ano minha filha vai comigo, vai ajudar a distribuir água para outras pessoas. Para mim, a cada ano é mais emocionante, cada romaria parece que renova mais minha vida”, explicou dona Maria. Ela completa dizendo:“Se fosse duas vezes por ano eu iria”.

Rezar
Com o objetivo de fazer preces, Camila César, arquiteta, de 29 anos, percorre o caminho da Romaria da Penha há 10 anos. Segundo ela, já foi preciso fazer ‘loucuras’ para não perder a data dessa atividade religiosa. “Eu já sai correndo de um casamento no qual eu era madrinha, há alguns anos. Não participei da festa, apenas da celebração. Eu tive que sair de ‘fininho’. Ninguém me viu sair. Eu tive que enrolar os noivos”, lembrou Camila.

Camila e o seu pai sempre fazem preces durante a
romaria (Foto: Camila César/Arquivo pessoal)

Esta devoção, de acordo com ela, está enraizada na sua família e lhe foi repassada ainda no berço. “Meus pais já participavam da romaria antes do meu nascimento, na época em que ainda eram namorados. Ela são muito devotos. Quando eu nasci, um deles ficava comigo. O outro ia pra procissão. Lembro que eu sempre quis participar. Com o passar do tempo, minha mãe parou de ir. Por outro lado, eu comecei a ser romeira com o meu pai”, contou ela, que disse só ter faltado a duas edições deste então.

Para ela, cada passo da romaria é marcado por momento de intimidade com o seu pai e com a sua fé. “Nós vamos rezando o caminho todo. Meu pai canta e faz as orações do meu lado. Cada passo é emocionante, fazemos nossas preces. É algo lindo. Quero que essa tradição passe para meus filhos”, relatou a devota.

Você também pode gostar
Comentários
Carregando...