Sem Extremo Cultural, artistas farão ‘Extremo Independente’

0

Bandas e músicos paraibanos anunciaram nesta terça-feira que farão shows na praia de Tambaú, em janeiro do ano que vem, apesar do cancelamento da programação do projeto Extremo Cultural. Os artistas querem colocar em prática o projeto Extremo Independente, com participação da iniciativa privada. A proposta feita por Erik Martinez (vocalista da banda Macumbia) foi acompanhada por Tamboretes do Forte e DJ Pierre Alexander. Abaixo, a postagem-convite feita pelo músico Erik Martinez:

“Ao invés de reclamar porque não vai haver Extremo Cultural este ano…Eu proponho marcar uma reunião com todas as bandas Pessoenses interessadas e entrar num acordo de datas, som, patrocinios privados e correr pra fazer o nosso primeiro EXTREMO INDEPENDENTE na orla de João Pessoa – PB. Não necessita ser um mega palco e infraestrutura, mas sim fazer no propio Busto, Feirinha de comida, fechar a rua do On the rocks e Carboni…e fazer shows nem que seja num pequeno trio eletrico com boa sonoridade e logicamente respeitando os horários e as normas impostas pela prefeitura. enfim… agora é o momento. E se não der tempo nos juntamos para contratar um trio eletrico pequeno e fazer nosso propio Carnaval, ao invés das muriçocas sermos os Maribondos!!! …Sem cachê nenhum…apenas para mostrar e fazer desfrutar todo tipo de publico com o nosso trabalho musical. Pois esta é uma das safras musicais mais lindas e interessantes que esta ocorrendo e não pode parar por causa de falta de verba”.

O cancelamento do Extremo Cultural foi anunciado pelo prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), na manhã de ontem (07). O projeto, nos últimos 10 anos, foi realizado na praia de Tambaú, sempre no mês de janeiro.

Cartaxo disse que – com a suspensão – pretende economizar cerca de 60 milhões na gestão municipal nos primeiros meses de 2016.

Cartaxo manteve, todavia, a realização da festa de Réveillon nas areias das praias de Tambaú e Cabo Branco, mas com orçamento reduzido.

O prefeito ressaltou que no momento a prioridade da sua gestão é pagar o 13º salário dos servidores municipais, a folha do mês de dezembro e continuar com a realização de obras, sobretudo nas áreas de Saúde, Educação, Infraestrutura e Habitação.

“As previsões para 2016 são piores que as de 2015. Então, para que possamos entregar obras, escolas, praças, habitações, pagar salário de servidores em dia, temos que fazer cortes”, afirmou.

Você também pode gostar

Comentários

Carregando...