Procissão encerra festa da padroeira de Guarabira

0
Fiéis lotaram a Praça da Catedral para render homenagens à Virgem da Luz. (Foto: Diocese de Guarabira)

A tradicional procissão de Nossa Senhora da Luz, padroeira de Guarabira, reuniu aproximadamente 12 mil fiéis nesta terça (02/02). A imagem da santa percorreu as principais ruas da cidade. Uma missa celebrada no largo da igreja encerrou a festividade religiosa.

A caminhada se deu início por volta das 16h. O ponto de saída foi defronte à catedral de Nossa Senhora da Luz. Um grande número de fiéis percorreu as ruas da cidade que ficaram estreitas.

Já no largo da catedral o espaço foi pequeno para tanta gente vinda de várias cidades da região. Lá, aconteceu a celebração da santa missa campal, presidia pelo bispo diocesano, Dom Lucena, e concelebrada pelo clero diocesano de Guarabira.

Logo após, na Praça Lima e Moura, em Guarabira, o cantor mineiro Leo Rabelo da Banda Dominus se apresentou, ao lado do grupo guarabirense Resgate Elétrico. O show religioso reuniu também um grande público.

Origens

Conforme o historiador Martinho Alves de Andrade, a tradicional Festa da Luz, celebrada anualmente em Guarabira, vem de muitos anos como nos anuncia em “Guarabira Através dos Tempos” (1955), o historiador e escritor Cleodon Coelho. Ai ele se reporta às de 1901-1906 e sinaliza para o fato de que já se projetavam como evento importante não apenas para o nosso povo que desejava se fortalecer na fé, mas para outros habitantes de municípios mais distantes que ali encontravam razão
parestreitamento dos laços familiares e reencontro com amigos.

A procissão seguida de grande número de pessoas se iniciava à porta da igreja matriz e à caminhada, alegrava as ruas e os católicos graças aos andores amplamente enfeitados de flores coloridas e perfumadas, enquanto banda de música tocava hinos sempre acompanhados pelas vozes dos devotos da Virgem da Luz. Disputavam aplausos dos que não podendo ir ao encontro da Mãe de Jesus na sua igreja, permaneciam em casa com varandas e janelas ornamentadas por flores e lençóis bordados, deslumbrando a todos os caminhantes.

A chegada da imagem da Virgem da Luz a Guarabira, teria se dado, assinala Martinho Alves, conforme relato do monsenhor Emiliano de Cristo em “Reminiscências de Guarabira (Síntese)” (1964), pelas mãos de José Rodrigues Gonçalves da Costa, vindo da cidade de Beiriz em Portugal, fugindo de sua terra onde acontecera um grande terremoto que somente em Lisboa matara mais de 40 mil pessoas.

Encontrando aqui um lugar pacífico e livre de cataclismo, fixou residência e construiu capela para orago de Nossa Senhora da Luz, de quem era devoto. Ai se iniciaria uma história de profundo amor entre os guarabirenses e a Mãe de Jesus, durando até hoje, na qualidade de Padroeira desta terra e protetora da Diocese.

Nordeste1
Você também pode gostar
Comentários
Carregando...