Ricardo rebate Maranhão: "Governo não tem dono e empréstimo é da PB, não de senador"

0

Em entrevista coletiva no Palácio da Redenção, o governador Ricardo Coutinho (PSB), afirmou nesta terça (17) que vai procurar o presidente em exercício, Michel Temer (PMDB), se for preciso, para liberação de recursos para o Estado. Ele estranhou que dois empréstimos já assinados, um de R$ 112 milhões para infraestrutura e outro de R$ 37 milhões para habitação, não tenham sido liberados. Também disse não entender porque R$ 18 milhões para conclusão do viaduto do Geisel, em João Pessoa, também não estivesse ainda nos cofres estaduais. Assista abaixo.

O governador aproveitou para alfinetar o senador José Maranhão (PMDB), que nessa segunda-feira (16), afirmou que não tinha sido procurado pelo governador para intermediar uma audiência com o presidente em exercício. “Eu vejo alguns parlamentares numa infelicidade terrível dizendo que o governador para liberar algum empréstimo tem que ir ao senador”, criticou.

Na entrevista, Ricardo falou da cessão do prédio do antigo Paraiban, para a construção da nova sede da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). Ele disse que no atual prédio da ALPB funcionarão órgãos estaduais e um deles poderá ser a Procuradoria-Geral do Estado.

O governador confirmou a redução dos custeios das secretarias estaduais, conforme o Portal Correio trouxe no sábado (14). Ricardo reuniu-se com todos os secretários na sexta (13) à noite na Granja Santana, em João Pessoa. Ele determinou cortes e anunciou lista de prioridades de obras.

Ricardo disse que é produto das lutas democráticas e consegue saber que a democracia no país foi suprimida. Na sua avaliação, o Estado de Direito foi “solapado”. Mesmo assim, pretende dialogar com o presidente em exercício. “Governo nenhum tem donos. Tem que ir ao senador? Quer dizer que ele passou a ser dono do empréstimo que a Paraíba está fazendo? O Brasil não pode ter retrocesso. É esse concepção de democracia que algumas figurinhas carimbadas aqui da Paraíba tem?”, questionou.

Ele não crê que o presidente em exercício retalie os governadores porque seu discurso é de união nacional.

Ricardo Coutinho comentou a aliança do sue partido, o PSB, com o PMDB na Paraíba. “Cada um sabe seu caminho. Agora. Eu quero que aliado seja aliado. Cada um sabe o caminho que precisa ter. Eu também sei o meu e no momento adequado o nosso partido irá falar”, afirmou. A informações são do Portal Correio.

Você também pode gostar

Comentários

Carregando...