Bando invade hipermercado, amarra funcionários e rouba cerca R$ 300 mil, na Capital

0

Cerca de 15 homens invadiram na madrugada desta sexta-feira (29), o Hiper Bompreço do Bessa, na BR-230, em João Pessoa. Funcionários foram feitos reféns, vigilantes tiveram armas roubadas e estoques de celulares e notebooks foram levados. O prejuízo ultrapassa os R$ 300 mil, de acordo com a gerência do estabelecimento. Há uma semana, um banco foi explodido no mesmo bairro e a polícia não descarta que seja o mesmo grupo criminoso.

Segundo a delegada Andreia Mello, plantonista do Disp de Manaíra, o crime aconteceu quando o supermercado foi fechado e os funcionários se dirigiram para jantar, por volta de 1h da madrugada. Dois assaltantes já estavam dentro do local.

“Assim que a loja foi fechada, os assaltantes que estavam dentro do hipermercado renderam todo mundo. Outra parte estava fora do estabelecimento, entrou na loja e iniciou a ação criminosa”, comentou a delegada. A central de monitoramento de câmeras de segurança foi levado pelos criminosos.

De acordo com Melo, o grupo ficou cerca de uma hora dentro do hipermercado. Os criminosos amarraram os funcionários e um deles foi espancado. “Eles eram bem agressivos, mas espancaram apenas um dos reféns que levantou a cabeça. Os assaltantes passaram cerca de uma hora no local, tempo necessário para fazer um arrastão”, disse.

Os funcionários foram deixados amarrados e de cuecas. Eles conseguiram arrombar a porta e acionar a polícia pouco mais de uma hora depois da saída dos bandidos. Até as 8h desta sexta (29), os assaltantes não tinham sido presos. O crime será investigado pela Delegacia de Roubos e Furtos de João Pessoa.

Em nota, o Hiper confirmou o fato ocorrido e disse que não houve feridos. A empresa falou que a segurança de funcionários e clientes é prioridade para a companhia.

“A loja terá equipe de segurança terceirizada ampliada e sistema de monitoramento reforçado. A empresa também está prestando toda assistência necessária aos funcionários da loja e colabora com as autoridades na investigação do caso”, disse a rede, em nota. As informações são do Portal Correio.