Polícia investiga se jovem morta em assalto na PB foi caso de execução

0
Filhos da vítima presenciaram o crime (Foto: Henrique Epifanio/TV Paraíba)

A morte da jovem de 25 anos na noite da quarta-feira (21) na Vila dos Teimosos, no bairro de Bodocongó, em Campina Grande, agreste da Paraíba, foge dos padrões de latrocínio, de acordo com a delegada que investiga o caso, Ellen Maria. Latrocício seria a primeira linha de investigação, mas a Polícia Civil não descarta a possibilidade de ter sido execução.

A mulher foi morta quando chegava em casa com o marido. Em depoimento, o homem disse que o atirador anunciou o assalto, a esposa se assustou soltando uma sacola no chão e o rapaz atirou. “Temos alguns fatos que podem levar a crer que foi execução: o tempo da ação do criminoso e o fato dele ter atirado quando ela já estava caída”, relatou a delegada Ellen Maria.

Imagens
O sistema de monitoramento de câmeras de um condomínio que fica próximo à casa da vítima registrou o momento em que um homem de casaco azul vai em direção à mulher e ao marido dela. A ação dura cerca de 15 segundos.

O atirador chega na rua sem disfarces e, após o crime, volta encapuzado e correndo. Ele usa uma moto para fugir que está em rua paralela.

Histórico
Segundo a delegada, não há confirmação se a mulher tinha envolvimento com crimes. “Nós sabemos que ela já teve um relacionamento com um ex-presidiário e tudo isso vai servir para as investigações”, explicou Ellen Maria.

O celular da vítima foi apreendido e será periciado. A polícia também solicitou o aparelho do marido da mulher, mas que esse teria desaparecido. A partir de agora, ainda de acordo com a polícia, o principal é localizar o atirador e com as informações de possíveis ligações dele com a vítima o caso seja esclarecido. As informações são do G1, 

Caso foge dos padrões de latrocínio, diz delegada

Você também pode gostar

Comentários

Carregando...