Renato Meireles rebate Camila e diz que nomeação de Léa para secretaria é ilegal e imoral

0
Vereador Renato Meireles rebateu a deputada sobre nomeação de Léa (Fotos: Internet / CartaPB)

O vereador Renato Meireles (PSB) participou por telefone, na manhã desta terça-feira (14), do Jornal da Comunidade, da Rádio Nordeste 104,9 FM. Na ocasião, o parlamentar foi questionado pelos comunicadores Marcos Andrade e João Pedro sobre a nomeação de Léa Toscano, esposa do atual prefeito de Guarabira Zenóbio Toscano (PSDB), para a Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres, a qual considerou ilegal e imoral.

“Eu vejo dois pontos, que é ilegal e imoral. Ilegal porque existe uma lei municipal (nº 738/2007), que foi de autoria do vereador Luiz Martins, o nosso conhecido Lula das Molas, aprovada pela Câmara de Vereadores e sancionada pela então prefeita Fátima Paulino, que proíbe nomeação de parentes. Ou seja, o prefeito ignorou essa lei, que por sinal, é de um vereador ligado a ele. E imoral, porque a ex-prefeita Léa já exerce o cargo de primeira-dama, desnecessário ter que nomeá-la para uma pasta na gestão quando ela já estava ajudando na administração do marido, que batia no peito e dizia que nunca iria nomear um parente para ocupar um cargo na prefeitura. Nada melhor que o tempo para conhecer as pessoas”, comentou o líder do grupo Girassóis na Casa Osório de Aquino.

Para Renato, a nomeação de Léa é apenas no sentido de a mesma ser remunerada, e lembrou outros nomes que poderiam assumir a secretaria.

“Temos aí várias outras mulheres que poderiam ocupar esse cargo, como Isaura do São José, uma pessoa que representa as mulheres. Como Ivonete lá do bairro do Rosário. Como Neide Rainha, que foi candidata a vereadora pelo lado do prefeito. Porque não dar uma oportunidade a esse pessoal? Que contribuiu para a reeleição do prefeito e que não tenho dúvidas de que fariam um bom trabalho”, indagou.

Renato ainda rebateu uma fala da deputada estadual Camila Toscano (PSDB), onde em programa de rádio ela disse que a “Câmara de Guarabira teria que estudar para debater a nomeação de Léa para a Secretaria da Mulher”.

“Eu até acompanhei um posicionamento da deputada Camila Toscano, dizendo que a Câmara deveria estudar, para depois debater com ela essa discussão. Acho que ela foi muito infeliz no momento, até porque a lei municipal de antinepotismo foi criada por um vereador aliado a ela”, pontuou Renato, afirmando que realmente existe uma lei federal onde se pode nomear parentes em cargos de confiança, porém ele citou um exemplo ocorrido recentemente, onde o ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello concedeu liminar que suspendeu a nomeação do filho do prefeito do Rio de Janeiro para o cargo de secretário da Casa Civil, se apegando ao princípio da moralidade e da lei de nepotismo.

Por fim, o vereador falou sobre a realização do Gabinete Itinerante, um compromisso seu assumido durante a campanha eleitoral e que tem como objetivo ouvir, a exemplo do orçamento democrático estadual, o que a população de cada comunidade tem a dizer, a cobrar da gestão municipal.

“Essa roda de conversa com o povo é por demais salutar, pois permite que o parlamentar tenha um canal de diálogo direto com a sociedade e, dessa forma, conheça seus clamores. Afinal, através desse diálogo com as comunidades, ouvindo suas reivindicações e ideias, é que construiremos, juntos, o mandato. Que é nosso. Irei apresentá-las como forma de requerimento e chegarão até o prefeito. Espero que ele tome nota e escute as pessoas. Propondo mudanças significativas para a população”, finalizou Renato.

É importante o cidadão sentir de perto a sua importância! Sou defensor do fortalecimento da democracia participativa como meio de transformação da cultura política e o estreitamento do diálogo entre a Câmara Municipal e população de Guarabira.

O projeto do Gabinete Itinerante surgiu de um compromisso assumido durante a campanha eleitoral e tem como objetivo ouvir, a exemplo do orçamento democrático estadual, o que a população de cada comunidade tem a dizer, a cobrar da gestão municipal. Discutir os principais problemas de Guarabira e propor mudanças significativas para a população.

Para Renato, a nomeação de Léa é apenas no sentido de a mesma ser remunerada

Você também pode gostar
Comentários
Carregando...